Páginas

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

IDIOMA INTERDITO

Paulo Nascentes
No espaço exíguo
o poema do amor à míngua,
no espaço contíguo
teu amor na minha língua.


     E minha língua no teu dorso
     degusta teu reverso
     e tua língua lambe meu esforço
     e saboreia lenta o sêmen do meu verso.


(Do livro Sobrevida)


IDIOMO INTERDIKTA

En la malgrando spaca,
mi ampoeme malsatas
apudloke surfaca
vi amolange lingvatas.

Mi langas vin dorse,
gustumas vin reverse,
leko via nerimorse
glutas mion semoverse.


(Esperantigita de Adonis Saliba)