Páginas

sábado, 17 de março de 2012

BERROS EM VÃO

aos berros e em vão
poema exige audição:
audiência impõe a indecência
da desatenção

no bar
ouvidos semibêbados
só querem tagarelar

tímido o poema se recolhe
em seu recato
tenta digerir o desacato
mas no ato
o vexame não evita:
mantém-se quieto e sóbrio
     - mas vomita!