Páginas

sábado, 17 de março de 2012

BIS COITO DOCE

naquela madrugada insone
em cada poro o amor fluía
em cada pêlo a pele já sorria
saciadas já a sede e a fome

cegos nós cegos nós já fomos
naquelas noites já virando dia
devassa a luz se comovia
e nos movia pra dentro do sono

mas, de dentro um sol se impunha
envergonhado tímido perplexo
se irradiava do coração à unha

você e eu mais vivos reconexos
flutuando sétimas alturas
ressucitando gentis os nossos sexos